Quem é você: a criança ou o adulto?

Talvez refletir sobre isso irá te ajudar a enfrentar situações. Pare agora e responda para você. Quem é você: a criança ou o adulto? E quem você quer ser? 

Para começar a ler esse texto, você precisa saber que aqui é um espaço seguro e sem julgamentos. A leitura é somente sua e cabe somente a você a fazer essa avaliação. Enquanto escrevo, também faço a minha autoavaliação. Você e eu precisamos saber que, não importa, quem seja você nesse momento, se você está feliz em ser como é, então ufa, está tudo bem. Se você não está contente em ser assim, então pare, reflita sobre cada uma das próximas frases e permita-se a sentir e entender o que você deseja mudar. Se precisar, busque ajude de um profissional. O que posso dizer, se você me perguntar, é que a terapia me ajudou muito a entender quem eu sou e como me aproprio do desejo de evoluir a cada nova experiência. Aqui, quem sabe é um começo para você entender quem é você: a criança ou o adulto?

A criança foge dos seus atos, esconde e acredita nas suas próprias mentiras como válvula de escape. O adulto paga sua própria conta.

Em determinado momento da vida, a criança faz algo já sabendo que está errada e irá se arrepender. O adulto faz uma escolha que julga ser o correto, se não for, ele assume o seu pecado e, se receber uma chance da vida, ele não tem medo de voltar atrás e tentar novamente.

A criança é inocente e se joga em uma situação mesmo que sendo irresponsável. O adulto cumpre responsabilidades.

A criança tem medo e está sempre a sombra de alguém. O adulto é corajoso e enfrenta o medo, a vergonha e até o orgulho se ele percebe que chegou no nível de autossabotagem.

A criança machuca o outro para não se ferir. O adulto protege o outro dos seus atos inconsequentes.

A criança é egoísta e só pensa no próprio bem, doa a quem doer. O adulto sabe quando é preciso se escolher, mas também entende que determinadas escolhas agridem alguém que ele ama e que o ama.

A criança não entende o que é o auto-amor e amor. O adulto sabe equilibra-los.

A criança confia e se entrega a qualquer um. O adulto entende que amor e confiança caminham lado a lado.

Essa reflexão que eu trouxe hoje me ajudou a viver minhas próprias escolhas e dores. E é por isso que estou em um constante aprendizado de não enfrentar ninguém por ter feito escolhas que eu não concordo ou por ser diferente do que como eu gostaria que essa pessoa fosse. Ser criança ou adulto é uma escolha particular e somente cabe ao outro viver aquilo que ele pode viver. Aprendi que a mim só cabe pegar o melhor da intenção de cada um e seguir adiante.

Talvez refletir sobre isso irá te ajudar a enfrentar situações que você vem passando. As vezes até com outra pessoa. Entender quem você é e qual é sua atitude diante do cenário, é essencial para assumir seus próprios riscos e consequências. É o que te fará a não carregar os pecados de mais ninguém além dos seus.

Então pare agora e responda para você mesm♡. Quem é você: a criança ou o adulto? E quem você quer ser?

(2) Comentários

  1. Juliana diz:

    Inspirador como sempre! ♥️

    1. Obrigada ♥️ Fico feliz em saber que você está gostando desse tipo de conteúdo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *