Você já viu o pôr do sol hoje?

Você já se olhou no espelho hoje? Já anotou no bloco de notas tudo o que mudou em você depois de meses em casa? Ainda dá tempo antes do próximo pôr do sol!

Se tem uma cena que todos contemplam é o pôr do sol e parece que paramos tudo o que estamos fazendo para olhar e fotografa-lo a cada dia desses vivendo em casa. Você tem a mesma impressão? Você deve ter visto dezenas de Stories do pôr do sol, cada um no seu olhar, na sua janela, no seu conceito. Cada um, uma análise diferente. E por falar em análise e dias em casa, você já se olhou no espelho hoje?

Já passamos de uma centena de dias confinados e, nesse momento, paro para refletir que a Beatriz Arvatti de 100 dias atrás não é a mesma de hoje. Você tem essa mesma impressão sobre você? Sabe, uma coisa é certa, se nada mudou ai dentro, alguma coisa errada tem ou talvez você ainda não tirou esse momento de reflexão assim como tirou para ver o pôr do sol.

Quer tirar agora esse tempo para você? Então vou fazer esse exercício com você agora mesmo.

O que esses meses em casa te proporcionaram? O que você fez para você, por você e com você mesm♡? O que você se permitiu fazer? O que você sempre reclamava que não conseguia fazer por falta de tempo e agora consegue? Vamos combinar, ganhamos muito tempo com nós mesm♡s em 2020. Acho que vale até começar uma lista no seu próprio bloco de notas para não perder um detalhe sobre você.

Pensando aqui sobre mim (vai que te ajuda?), 2020 e a quarentena me deram a chance de experimentar muitas coisas novas. Nos últimos meses eu fiz inúmeros happy hours virtuais com quem eu gosto. Fiz chamadas de vídeo de três horas com uma amiga que morou longe por sete anos e nunca tínhamos feito isso para matar a saudades. Fiz um novo amigo e o bom dia online virou parte do dia. Um amigo que nós já até nos conhecíamos antes, mas nunca imaginei que ele seria uma das pessoas presentes esse ano e com quem tenho longas conversas diariamente, incansáveis conversas, das mais cotidianas aos papos cabeça. Com minha amiga e fotógrafa favorita arriscamos um web shooting (aliás foi ela quem nos presenteou com a imagem desse pôr do sol fotografado por ela, Mariana Mioto). Já com outra amiga, fizemos um jantar online e as duas aprenderam juntas a cozinhar uma nova receita, ali, ao vivo, não em carne e osso, mas em sintonia e perrengues do molho pesto. Eu já contei que em 2020 aprendi a cozinhar? Fiz inúmeros cursos online também, me aprimorei na minha área e explorei uma nova. Recebi mensagens de pessoas que nunca imaginei receber, alguns ficaram mais próximos, outros mais distantes.

Nos últimos meses aprendi que a vida adulta é se responsabilizar pelos seus atos e consequências. O que significa (literal e metaforicamente falando) que uma simples ida ao mercado já pode causar uma consequência grave, mas se é o que eu preciso e quero fazer, assumo o risco.

Se você me permite a falar por nós e começar a te ajudar a se olhar…

Acho que em 2020 percebemos quem faz falta de verdade, quem precisamos de fato estar próximos, quem o abraço faz falta. Vimos que somos fortes o bastante para aguentar a nossa própria presença e de quem mora com a gente diariamente, 24 horas por dia. Vimos que somos fortes o bastante para aguentar ficar sem abraço, sem beijo, sem sexo, sem festinha lá em casa. Vimos que somos fracos, porque tudo isso faz falta e as vezes fomos lá buscar o que estava faltando.

Aprendemos a valorizar o nosso trabalho e nossa fonte de renda ou tivemos que nos desdobrar para fazer o pouco virar muito. Aprendemos a nos reinventar a cada final de semana sem poder sair de casa. Aprendemos que qualidade de vida é ter tempo e o quanto é precioso não gastar tempo no trânsito ou esperando o transporte público. Aprendemos que quando não depende de nós, o tempo resolve tudo.

Quem era você antes de março de 2020 e quem é você hoje?

Se você me perguntar, a Beatriz Arvatti antes da quarentena estava doente. Doente de verdade, fisicamente falando. Tive uma amigdalite que até o médico caiu para trás quando examinou minha garganta, mas um amigo fez uma boa análise e me disse: “Você anda engolindo muitos sapos”. Ele estava certo. Depois de meses para vomitar os sapos e tudo aquilo que eu precisava dizer, cá estou eu, uma Beatriz Arvatti mais forte, sem nenhuma dor de garganta, aliviada eu diria. Forte no sentido que ando fazendo tudo por mim, para mim e comigo mesma. Me conhecendo, reconhecendo e me permitindo.

E você, vai se olhar no espelho agora? Ainda dá tempo antes do próximo pôr do sol!

 

(8) Comentários

  1. Andréia Cristina dos Santos diz:

    Muito orgulhosa de ver o quanto você amadureceu, e tem cada vez mais se apropriado dessa mulher que você é, e principalmente do seu potencial e do seu valor…

    1. Que lindo, você faz parte de toda essa construção. Estrelinha para nós! ❤️

  2. Melhor blog ❤️❤️❤️❤️❤️❤️

    1. Obrigada ❤️

  3. Juliana diz:

    Acho que todos nós teremos um “antes da quarentena” e “depois da quarentena”…aprendi muita coisa, principalmente sobre mim mesma! Inclusive a improvisar um pesto de rúcula na falta de manjericão (te passo a receita depois! Hahahah e bora marcar mais um jantar on-line!)

    1. Bruna Leinmuller diz:

      Quanta delicadeza, coisa linda de ser ver, ler e acompanhar mesmo que longe fisicamente, mas sempre presente no dia a dia e no coração! Muito orgulho de você e da mulher que se torna a cada dia, só vejo luz em você e no seu caminho. Te amo e te honro demais ❤️

      1. Suas palavras sempre me enchem de alegria! Te amo e te honro demais ❤️

    2. Que lindo saber que você também está aprendendo mais sobre você! Bora marca pra já ❤️

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *