O que ainda não te contaram sobre meditação (no olhar de uma iniciante)

O que ainda não te contaram sobre meditação com olhar de uma iniciante. Um depoimento de quem tem tentado aprender. Vai que te ajuda?

Esse não é um texto sobre como a meditação traz vários benefícios para saúde física, mental e emocional, embora, talvez, ao longo das próximas linhas, eu comente algo assim. Também não é um texto sobre como meditar ou levitar. Aqui, quero apenas te dizer o que ainda não te contaram sobre meditação com olhar de uma iniciante, de quem demorou anos pra conseguir fazer dias consecutivos não por obrigação ou porque me falaram que ajudaria na minha ansiedade ou noites de sono, mas sim porque me faz feliz. Não é um texto pretensioso e eu nem posso dizer que sei algo sobre meditar, mas é só um depoimento de quem tem tentado aprender. Vai que te ajuda?

Eu acredito que seja verdade tudo o que nos falam: a meditação ajuda a controlar a ansiedade, reduzir o estresse, melhorar a memória e a concentração, aumentar a felicidade, autoestima, ativar o sistema imunológico, trazer qualidade para o seu sono e tantas outras que você certamente poderia me ajudar a listá-las aqui o que já ouviu. Só que é uma prática tão difícil não é? Precisa relaxar e como relaxar no momento que estamos vivendo? Com aqueles dez pensamentos simultâneos que surgem no meio e você nem sabe mais de onde veio aquilo? Com aquela posição de coluna ereta que te faz desconcentrar quando você percebe que está já relaxou a postura. E a contagem da respiração que as vezes dá nos nervos.

Sabe o que eu aceitei aprender na minha prática de meditação?

Que é você quem faz o seu momento de meditar. Na cadeira, na cama ou no chão, seja em pé, deitad♡ ou sentad♡. No claro ou no escuro. Usando um aplicativo, um vídeo no Youtube, uma aula com um profissional de Yoga ou Mindfulness ou um coach. De três ou de trinta minutos. Aceite o seu modo, a sua posição mais confortável naquele momento, a sua respiração e, principalmente, aceite ser amoroso consigo mesmo, do início ao fim da prática.

Aceite os pensamentos simultâneos, porque eles virão. Parece que aquele pensamento que mais queremos afastar é o que mais aparece na hora de relaxar, mas entenda que, se aquilo apareceu, é porque tinha que aparecer. Não espante, sinta-o. Agradeça por ele e com leveza volte ao seu guia. Aos poucos o pensamento se afasta sozinho, do jeito que tem que ser.

Tente não se imaginar levitando ou fazendo qualquer coisa em um nível surreal que você já ouviu de pessoas mestres no assunto, mas encontre e aceite o seu momento consigo mesmo.

Aceite que você merece esse tempo. Pense que esse é um momento só seu, ninguém precisa saber como você faz a sua prática. Ela é sua e não tem certo nem errado. Aceite que a meditação que foi incrível para uma pessoa, pode não ser eficaz para você e está tudo bem. Para nossa sorte, hoje existem inúmeras meditações guiadas, temas, orações e rituais.

Entenda que meditação não é uma prática religiosa, mística, medicinal ou da psicologia. É um pouco de tudo isso e você tem a liberdade de escolher meditar por aquele motivo que você acredita.

Aceite a sua respiração, da forma mais amorosa possível, da sua maneira de inspirar e expirar. Tente fazer o que o guia te pede e se não conseguir, tudo bem, não desista por causa disso.

Meditação é uma prática diária sim e quando você cria uma constância, isso te ajuda a tornar um hábito. Não conseguiu um dia? Não tem problema nenhum, não desista de fazer isso por você mesm♡. Não se cobre, porque meditar é algo bondoso, leve, sem cobrança.

Para fechar, meditação é algo pessoal, mas trago aqui a minha experiência.

Baixei um aplicativo de meditar em 2017 pela primeira vez. Sempre fiz três dias seguidos e desistia, uma semana consecutiva e enjoava. Em algumas épocas tentei, mas talvez não era o meu momento. No começo da quarentena, sem muitas opções do que fazer que me ajudasse a me distrair dos meus sentimentos e dores, com problema na qualidade do meu sono que eu nunca tive, procurei me aprofundar no tema primeiro, estudar.

Fiz o curso online de meditação do coach José Roberto Marques e ali aprendi que meditação também é uma prática psicológica, o que me fez acreditar mais. Ali aprendi técnicas sim e fiz meditações que me fizeram acreditar na força do pensamento. Logo depois, uma amiga me colocou num grupo de meditação de “21 dias de abundância”, com meditações e atividades diárias. Ali aprendi a ter um caderno de pensamentos, de frases e mantras. Ali aprendi que os mantras realmente fazem sentidos para mim. Ali vivi diariamente um encontro comigo mesma em cada atividade. Terminando os 21 dias, finalmente encontrei o aplicativo que me dá opções, que posso escolher o que quero meditar, o que preciso para aquele dia. Chama Insight Timer (tem versão em inglês e português) com inúmeras práticas, inclusive de constância com 10 ou 21 dias. Tem meditações para dormir, para acordar, para o meio do dia, para qualquer momento.

Ainda estou aprendendo e talvez meditar é um contante aprendizado. Sem certo, nem errado. Só você, em um momento profundamente seu.

Então se sentir vontade de meditar, aproveite, sinta, reflita, pense positivo e faça exatamente como te faz se sentir confortável e te deixa feliz ao final.

(2) Comentários

  1. Juliana diz:

    amei! me identifiquei muito pq eu adorei o hábito de caminhar meia horinha todos os dias, e tó fazendo muito mais pelo ato de tirar esse tempo pra começar meu dia do que pelo exercício fisico mesmo!

    1. Que lindo saber disso! Faça sempre por você 🤍

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *